GOVERNO QUER QUE MULHERES COM JORNADA DE TRABALHO CURTA TENHAM ACESSO ÀS CRECHES PÚBLICAS

Youchien

Um comitê criado pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, aprovou o acesso às creches públicas para as mulheres que têm jornada de trabalho reduzida, informou o Jornal Sankei. A medida pode entrar em vigor a partir de 2015 e deve fazer parte da política do governo para facilitar a entrada das mulheres no mercado de trabalho.

Segundo as regras em vigor, somente as mulheres com jornada de trabalho integral ou que cuidam de parentes com necessidades especiais, podem matricular seus filhos nas creches públicas. No entanto, se o governo aprovar a medida definida pelo comitê, as mulheres que tiverem jornada de trabalho a partir de 48 mensais, estiverem cursando universidade, à procura de emprego ou forem mães solteiras, também poderão solicitar vaga nas creches públicas.

O primeiro-ministro, Shinzo Abe, pretende acabar com as listas de espera nas creches dentro dos próximos cinco anos. A medida vem acompanhada de isenção fiscal parcial para organizações não-governamentais e a inicativa privada que quiserem abrir uma creche.

O modelo a ser implementado segue o exemplo da cidade de Yokohama, capital de Kanagawa, que em quatro anos conseguiu acabar com a lista de espera nas creches oferecendo vantagens para as empresas que quisessem investir no setor. A medida funcionou, mas provocou um gasto maior de dinheiro público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.