GOVERNO QUER CONTRATOS MAIS LONGOS PARA OS TRABALHADORES

O ministro da Economia e Política Fiscal, Akira Amari, pediu às empresas e aos sindicatos que se esforcem para melhorar a situação dos trabalhadores temporários, informou o jornal Mainichi.

Para alcançar as metas de inflação e crescimento econômico, o governo pretende apresentar uma nova forma de contratação onde os trabalhadores temporários possam ter contratos mais longos. No entanto, para os sindicatos, a medida visa acabar com o sistema de emprego regular e a estabilidade no emprego.

No novo sistema de contratação de mão-de-obra, que vem sendo estudado pelo governo, os trabalhadores teriam contratos um pouco longos, mas ainda sujeitos à demissão ao se encerrar o período de contratação. Para o governo, a medida reduziria o número de funcionários com contratos curtos. O primeiro-ministro, Shinzo Abe, acredita que a mudança iria aumentar o consumo e os investimentos, colaborando com as metas do governo de alta da inflação. 

Mas na opinião de especialistas e legisladores, as regras de demissão desses trabalhadores ainda não estão claras. Para este setor, como a sociedade japonesa está firmada sobre o emprego vitalício, não há muita diferença entre um contrato de 6 meses e de 3 anos. Em algum momento, esses trabalhadores irão perder o emprego. O novo sistema de contratação proposto pelo governo também não resolveria o problema dos trabalhadores que já alcançaram a casa acima dos 45 anos de idade., faixa na qual as contratações praticamente não acontecem. 

O setor de comércio no varejo e da construção civil são, atualmente, os que mais contratam trabalhadores com contratos de curto prazo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.